Kopenhagen - Chocolates Finos
Home   |   Notícias

Imprensa

Lindt vira sócia da Kopenhagen e terá lojas no Brasil

Veículo: Valor Econômico – SP | Divulgação: 11/03/2014

A marca suíça de chocolates Lindt terá lojas no Brasil, e a primeira unidade deve ser aberta em São Paulo até julho. O plano de negócios está sendo desenhado por uma joint-venture que inicia suas operações hoje, formada pela Lindt&Sprüngli e pelo grupo brasileira CRM – dono da Kopenhagen e da Chocolates Brasil Cacau. O acordo foi assinado na sexta-feira, após dois anos de negociações.

Até agora, os produtos da Lindt estão disponíveis no Brasil em lojas “duty free” em aeroportos e no grande varejo, distribuídos pela importadora Aurora Alimentos. Os novos espaços da marca terão um portfólio mais abrangente, de cerca de 200 produtos – todos importados. Além dos itens mais conhecidos dos brasileiros, como as trufas Lindor e os tabletes, serão vendidas opções para presente, pralinés (tipo de bombom com recheio de castanhas) e a linha jovem Hello. Segundo o presidente do grupo CRM, Celso Ricardo de Moraes, o preço médio dos produtos é semelhante ao da Kopenhagen – ambas marcas estão no segmento Premium.

A Lindt tem 51% da nova empresa que vai administrar as lojas da marca no Brasil. O restante pertence à dona da Kopenhagen. Num primeiro momento, os pontos de venda da marca suíça no país serão próprios, mas no futuro pode haver expansão por meio de franquias. A companhia suíça está presente em cerca de 100 países e um de seus modelo de negócio são as lojas.

O grupo CRM tem 820 lojas no Brasil, a maioria franquias. Suas vendas somaram R$ 760 milhões no ano passado, em alta de 42% em relação ao ano anterior. A companhia planeja encerrar este amo com mais de mil pontos e ultrapassar o R$ 1 bilhão em faturamento.

A marca Lindt, criada há quase 170 anos, tem capital aberto na Suíça. Em 2013, as vendas cresceram 8% e somara 2,88 bilhões de francos suíços (US$ 3,28 bilhões). A companhia tem oito fábricas nos Estados Unidos e Europa.

Segundo Moraes, a companhia suíça tem buscado crescer em países emergentes, e o Brasil, terceiro maior mercado de chocolates do mundo, é uma das prioridades. Essa é a primeira joint-venture da Lindt na América Latina, mas a marca está presente em quase todos os países da região por meio de parceira com distribuidores locais. Recentemente, a Lindt criou subsidiárias em outros países em desenvolvimentos, como China e África do Sul.

Moraes, de 69 anos, comprou a Kopenhagen em 1996 das mãos da família fundadora que dá nome à marca. Sua filha, Renata, e o genro, Fernando Vichi, executivos dos grupo, ficaram à frente das conversas com a Lindt. Antes de fechar o negócio, o time suíço esteve algumas vezes no Brasil, visitando as instalações da CRM e o mercado, inclusive o CEO, Ernst Tannner.

Para Renata Moraes, vice-presidente de marketing do grupo CRM, a decisão de criar a Brasil Cacau, rede com produtos mais baratos lançada em 2009, provou que o grupo consegue administrar negócios diferentes. No ano passado, essa marca dobrou de tamanho e já tem 490 lojas. No varejo, no entanto, a companhia não teve o mesmo sucesso. A linha de doces de chocolate Dan Top, adquirida em 2007, foi retirada do varejo no fim de 2011, mesmo ano em que o grupo anunciou investimentos para revitalizá-la. Segundo Renata, a prioridade da companhia nos últimos anos foi a Chocolates Brasil Cacau. “Além disso, vimos que era muito diferente uma operação de varejo.” Mas o presidente do grupo afirma que pode reativar a marca mais para frente.

Segundo Renata, ter no portfólio lojas da Brasil Cacau, da Kopenhagen e da Lindt contribuiu para o amadurecimento do mercado de chocolaterias no Brasil. “A ideia é que o brasileiro que pensar em chocolates, de qual classe ou faixa etária, encontre uma opção fora do supermercado”. Segundo Fernando Vichi, vice-presidente de finanças, “nas últimas duas Páscoas, vimos uma migração forte do consumidor do supermercado para as lojas especializadas.”

A Lindt chegou a negociar com a Cacau Show, com 1,6 mil lojas, mas as conversas não avançaram, segundo fontes do mercado.

Sala de Imprensa
Quer saber mais sobre a Kopenhagen?
Se desejar mais informações sobre o nosso trabalho, produtos e campanhas, entre em contato*.

WRPress -- Assessoria de Imprensa Kopenhagen Tel.: 11 3672-4333 | E-mail: imprensa@wrpress.com.br

*Somente para Jornalistas.